Microchip animal

A identificação de animais através de microchip é um método bastante seguro e aplicável à maioria das espécies, como cães, gatos, cavalos, touros e vacas, aves, répteis e animais exóticos. Porém, muitas pessoas se confundem quanto ao uso do microchip, julgando ser possível a localização do animal através de radar, ou que o dispositivo carregue todas as informações do animal como nome, endereço etc.

Na verdade, o transponder é uma minúscula cápsula implantada sob a pele do animal, de forma indolor, através de um procedimento tão simples quanto o da vacinação. O transponder carrega em seu interior um microchip. Cada microchip possui um número que é identificado através de uma leitora manual. Assim, quando o microchip é implantado, estamos conferindo ao animal um “RG eletrônico” que não poderá ser adulterado. O número do microchip fica registrado em um banco de dados, constantemente atualizado, com todas as informações necessárias sobre o animal. No Brasil já temos um banco de dados onde o próprio veterinário que implanta o microchip cadastra as informações do animal. O endereço eletronico é: http://www.abrachip.com.br/ . Caso o animal apareça perdido nas ruas, será mais fácil devolvê-lo ao dono.

Em São Paulo já existe a lei nº 14.483, de 16 de julho de 2007, que obriga os canis e gatis a implantarem microchip nos animais que forem comercializados ou doados. Deve ser fornecido ao novo proprietario uma etiqueta com o numero e o código de barras do microchip.

O uso do microchip se amplia a cada dia. Não há registros de qualquer malefício que o dispositivo venha a trazer ao animal ao longo prazo. Após a implantação, normalmente atrás do pescoço, o organismo se incumbe de encapsular o microchip, onde ele permanece por toda a vida do animal.

imageedit_1_8256792306